Estado tem aumento de 248% nos casos de chikungunya e secretaria alerta para doenças transmitidas pelo Aedes

0
7


Durante todo o ano passado tinham sido 19 casos e em 2021 já são 66 confirmações. Dengue e zika também tiveram aumento neste ano. Mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue, zika e chikungunya
Raul Santana/Fiocruz/Divulgação
O Tocantins registrou um aumento de 248% no número de casos de chikungunya. Durante todo o ano passado tinham sido 19 casos e em 2021 já são 66 confirmações. Os números levaram a Secretaria de Estado da Saúde a emitir um alerta aos municípios do estado para o aumento de casos de todas as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, como a Dengue e a Zika, além da própria chikungunya.
Os casos da doença em 2021 estão concentrados em 12 cidades do estado. A maioria foi registrada Taguatinga, na região sudeste do estado, com 35 notificações. Nenhuma morte foi registrada.
O aumento no número de casos de chikungunya, assim como da dengue e zika, está diretamente relacionado à falha ou interrupção das atividades de controle do mosquito nas regiões afetadas. É o que explica a gerente de Vigilância das Arboviroses, Christiane Bueno Hundertmarck.
“O último surto de Chikungunya no Estado foi em 2017, com a ocorrência de 2.373 casos confirmados e três óbitos pela doença. Diante do atual contexto da pandemia provocada pela Covid-19, recomendamos a intensificação das ações de prevenção e controle nos municípios, mesmo no período de estiagem que estamos vivendo, para evitar e conter prováveis surtos e/ou epidemias de outras doenças que podem comprometer o sistema de saúde”, disse.
A SES informou ainda que todas as doenças transmitidas pelo Aedes tiveram aumento neste ano.
Chikungunya – 66 casos em 2021 contra 19 em 2020 (aumento de 248%);
Zika – 23 casos em 2021 contra 5 em 2020 (aumento de 360%, com);
Dengue – 1.737 casos em 2021 contra 1.454 em 2020 (aumento de 19,5%)
Sintomas de Chikungunya
Os principais sintomas da doença são febre de início súbito maior que 38,5°C e artralgia ou com artrite intensa de início agudo (dor intensa nas articulações). Os casos são mais comuns em áreas endêmicas ou epidêmicas.
A Chikungunya tem como consequência a redução da produtividade e da qualidade de vida do paciente. Em casos mais graves pode levar à morte.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins